domingo, fevereiro 10, 2013

Transportes em competição no FTF

Depois do sucesso da 1ª edição de 1985, que teve em Alcafache o seu ponto mais alto, eis que 2013 foi o ano escolhido para o regresso do "Festival Transporte Fatal", o festival nacional dedicado aos acidentes envolvendo transportes colectivos de passageiros, onde os vários participantes competem entre si para criar a situação mais caótica, ao mesmo tempo que apresentam verdadeiros cenários de morte e destruição.




"Ainda o mês vai a meio..."

Para Ricardo Santos, organizador do evento, "tem tudo para ser um sucesso". Nunca, num tão curto espaço de tempo, o país assistiu a tantas falhas sucessivas e isso tem uma explicação que passa longe dos relatórios oficiais. "A competição está forte, é a vontade de querer vencer" que impulsiona os concorrentes a superarem-se diariamente e a ir mais longe, "mesmo que isso implique esquecer ética e valor humano. Ainda o mês vai a meio e já tive oportunidade de constatar, se esta não for a melhor edição de sempre andará lá perto". 




"Fechar os olhos"

"Ao contrário de outras competições e desportos, em que o rigor e competência são armas de precisão, aqui o importante é não olhar". Para Duarte Sampaio, motorista da Carris há mais de 10 anos, a estratégia é simples: fechar os olhos e não ver. "Não ver sinais vermelhos, não ver sinais passadeiras, não ver cruzamentos... mesmo você está aqui a falar comigo porque veio num Opel Astra igual ao do meu pai e pensei que fosse ele, se não tinha-lhe mostrado como funcionam os air-bags ali Rua da Misericórdia, antes de me mandar parar".




"O publico é exigente"

Rogério Matias não é ninguém importante, já António Cunho estava no Regional abalroado em Alfarelos a  21 de Janeiro. "Não é nem será fácil vencer, mas acredito que o maquinista do Intercidades que quase me matou está bem lançado" afirma emocionado, enquanto ainda tentamos perceber quem é Rogério Matias e porque raios insiste em entrar num bloco de texto dedicado ao acidente de Alfarelos, já que o próprio diz nunca ter andado de comboio. "O publico é cada vez mais exigente, se dantes se riam porque viam no "Isto só Video" uns miúdos a cair naquelas pranchas com rodinha agora a parada aumentou e muito... eu próprio só não fiquei pior que estragado por ter sobrevivido porque ainda levei 4 pontos no braço, mas vi muitos a rir quando tropecei para apanhar os óculos que me tinham caído com o impacto da colisão". 
Em boa verdade, o acidente de Alfarelos - que Rogério Matias afirma ser "o da Granja do Ulmeiro", enquanto os nosso seguranças o escoltam para fora da sala - é o primeiro do Top da Destruição, mas a falta de vitimas mortais pesará muito no momento em que o juri escolher o vencedor.
E Alfarelos e Granja do Ulmeiro são, de facto, a mesma coisa.



"Eu, por exemplo, sou cego"

Confiante mas longe de estratégias está "Pedro", cego de nascença e camionista há mais de 30 anos. Para "Pedro", nome fictício que lhe demos para o proteger porque na verdade se chama Júlio Dias, "se há quem não queira ver, a mim basta-me não fazer nada". Depois de 25 anos na camionagem de mercadorias, da qual guardou muitas histórias para contar, "Pedro" é hoje chauffeur de uma prestigiada empresa de transporte de passageiros a operar de norte a sul do país. "Pé pesado, guinar à bruta, travar em cima dos outros, acelerar nas curvas, quer que continue? É fácil e este é o meu ano!"


"Isso sabe-se e nós até gostamos"

José Silva, gerente da Auto Mecânica de Loulé, sabe de tudo. "Todos sabemos e todos gostamos de ter nos quadros funcionários que se querem superar diariamente, constantemente e ininterruptamente", incluindo mais 2 ou 3 advérbios de modo que de momento não nos recordamos mas que eram muito giros. "As empresas têm conhecimento destas competições e claro que seria uma honra ser um dos nossos a ganhar, vamos ver!"

O festival terminará em Dezembro com a apresentação dos 3 vencedores nacionais e resta saber se você será um dos participantes ou um dos que ficou pelo caminho.

2 comentários:

Ass ou escreve-se ah se...? disse...

bolas pá tanto tempo livre

ou és o demo

ou tás no desemprego com ele

Junk bonds are junk DNA? disse...

gostei muito do da greve da cp...